A Caixa de Pandora

Por , Comentario
Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter
[Segundo a lenda grega, Prometeu criou o homem de argila e roubou a chama sagrada de Hélio (Deus Sol) para dar-lhe o sopro da vida. O intuito era criar um ser que ajudaria a cuidar de sua mãe Gáia (Terra). O homem, porém, também era imortal e assexuado, reproduzindo-se de forma rápida. Por ordem de Zeus, Prometeu foi preso e condenado a ficar acorrentado no alto de uma montanha, onde todos os dias um corvo gigante vem comer-lhe as vísceras que são regeneradas à noite, ficando fadado a sentir dores por toda eternidade. Antes, porém, ele deixou uma caixa contendo todos os males que poderiam atormentar o homem com seu irmão Epimeteu, pedindo-lhe que não deixasse ninguém se aproximar dela. Os homens começaram a devastar a Terra e, a fim de castigá-los, os Deuses reuniram-se e criaram a primeira mulher, a qual foi batizada como Pandora e incumbida de seduzir Epimeteu e abrir a caixa...] – Wikipédia, A Enciclopédia Livre.


“…Filho de Jápeto, sobre todos hábil em suas tramas, apraz-te de furtar o fogo fraudando-me as entranhas; grande praga para ti e para os homens vindouros! Para esse lugar do fogo eu darei um mal e todos se alegrarão no ânimo, mimando muito este mal” - Disse assim e gargalhou o Pai dos Deuses e dos Homens...

... Ao início ordenou Hefesto, que muito velozmente terra à água misturou, e pôs voz e força humana, moldando sua forma a partir de argila, assemelhando seu rosto aos das belas imortais, aos traços de uma virgem; e a Atena ensinar-lhe os ofícios e trabalhos, ao tecido tecer; e a áurea à Afrodite, proporcionou-lhe à cabeça verter graça, terríveis desejos provocar e preocupações causar. Aí, Apolo deu-lhe talento musucal, Deméter ensinou-lhe a colheita, Poseidon deu-lhe um colar de pérolas e a certeza de não se afogar... Por sua vez vil, espírito de cão, curiosidade infinita e dissimulada conduta determinou Ele à Hermes... Assim, disse e obedeceram à Zeus Rei, que a pôs o nome de Pandora, “Redentora de todos os Dons”, mas um mal aos homens que comem pão.

Zeus entregou-a à terra para seduzir os mortais e levá-los à perdição como punição aos homens pela ousadia do Titã Prometeu em roubar dos céus o segredo do fogo.

À Epimeteu (cujo nome em grego significa "o que reflete tardiamente") o Pai dos Deuses a enviou, que não pensou no que seu irmão Prometeu lhe dissera: “Jamais Dom do Olímpio de Zeus aceitar”.

Em virtude de sua curiosidade, a mulher, a grande tampa da caixa tirou... Alçada, dispersou-os e para os homens tramou tristes pesares, os grandes males lançou; mentira, doenças, inveja, velhice, guerra e morte saíram... Assustada ficou ao ponto do medo fechar a tampa antes que fugisse à destruição o último dos males: O mal que acaba com o espírito, a DESESPERANÇA.

Bom, a versão mais conhecida da lenda de Pandora é a relatada no século VIII a.C. pelo poeta Hesíodo, na Teogônia. O termo “Caixa de Pandora” é uma expressão para se designar qualquer coisa que incita a curiosidade, mas que é preferível não tocar... Existem algumas semelhanças com a história judaica-cristã de Adão e Eva em que a mulher é, também, responsável pela desgraça do gênero humano.

Mas alguns acreditam que o que ficou na caixa foi mesmo a esperança/expectação - Esta última seria, na verdade, uma constante perplexidade diante da vida, uma vez que nós, seres humanos, temos consciência do futuro e de nossa morte, porém, não temos a capacidade de interferir - pelo menos não de forma absoluta – em tais eventos.

Pandora abre a caixa, e dela fogem os males... Entretanto resta a esperança dentro desta mesma caixa.
Seria a esperança um mal da humanidade?
Sonhar com algo impossível, buscar algo que jamais será atingido, tentar vencer o que já está predestinado...

Seria a esperança O Grande mal da humanidade???

Os deuses não precisam de esperança/expectação, uma vez que são imortais e têm consciência plena dessa imortalidade.

Os animais não precisam de esperança/expectação, já que não têm consciência de sua mortalidade.

Segundo muitos que crêem nessa linha, o ser humano, tendo consciência de si mesmo e de sua própria morte, precisa ter esperança (acreditar que tudo vai dar certo) ou viver na expectação (perplexidade com o futuro, com a finitude).


Eis o castigo sutil que Zeus aplicou aos homens. (?)


Tenhamos fé, meus amigos.
Entendam, eu tenho a luz:

A meu ver, como pode a esperança (taxada de 'mal') ser a tal praga que da caixa não saiu e ainda assim continua a assolar os pobres homens...?

E Prometeu já não a usava quando (antes mesmo da caixa ser aberta), ao roubar o segredo do fogo dos céus, acreditava em criar um sopro de vida àqueles para ajudar a Mãe Terra?
DETALHE: E mesmo assim (ou por isso) foi castigado à sofrer terríveis dores pela eternidade, e sempre... por ter esperança?
.
Existe uma linha tênue entre os aspectos de "Esperança" e "Desesperança" na linguagem antiga, por isso as diversas interpretações.
.
Bom,
Se a esperança é a última que morre, realmente há males que vêem para o bem, enfim.

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA