Xeque Mate

Por , 1 Comentario
Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

--------------------------------------------------------------------------

Isto é um documento pessoal, mais um desabafo do “self for myself” do que algo relevante para terceiros, ou quartos...

O Acontecido. É dele que eu quero falar.
Mas o que aconteceu?

Bom, nesses últimos meses minha vida percorreu um rumo inesperado, se encontra totalmente fora do que eu havia planejado, indiscutivelmente diferente do que eu programei. Mas, com o perdão da piada a mim mesmo, sempre fui meio “do contra” e “imprevisível” mesmo, né?

Seis meses se passaram. Minha mente mudou muito, meus sentimentos confusos e transtornados empalidecem meu coração. Meu corpo também mudou, com certeza. Mas o que não se compara em termos de mudanças é, de fato, a minha vida.

É incrível e igualmente perturbador quando você percebe que seu “Castelo Encantado” não existe mais por um simples e repentino sopro maldito, que seu “Reinado Forte” foi ao chão por causa de uma vírgula, que sua “Torre Mestra” mais era uma feita de cartas de baralho, e que agora se encontra aos montes espalhadas.

Perdi muitas coisas, muitas chances, muitas pessoas... E isso me deixa tão fraco de uma forma nunca sentida para uma reconstrução da obra.

Perigoso ou infantil vislumbro minha vida num tabuleiro de xadrez onde tenho peças mais importantes, outras subjugáveis. Tenho que pensar constantemente em uma nova estratégia... “Jogo conforme o jogo”. Bom, era mais fácil pensar assim até o quadro virar, até então eu era quem estava ganhando.

E sabe qual a minha única certeza hoje?
Não há como eu vencer esse jogo e continuar com todas as peças intactas. E isso não me agrada nem um pouco.

Mudar assim de estratégia... Deixar pra trás o que eu já havia planejado e tido como certo, para tentar algo que se torna minha única saída... Xeque!

Não costumo pensar em como seria se não tivesse acontecido “O Acontecido”, não mais. Mas... Detesto admitir, começo a entrar em questão sobre minha habilidade de jogador diante desse paradoxo.

Alheio ao meu futuro, uma coisa acontece paralelamente: Vejo os fatos de um outro ângulo, de uma outra perspectiva... Não sei se isso será bom ou ruim... Mas está se tornando agradável saber que o meu mundo é bem maior, e descobrir novos valores e significados é surpreendente. Entretanto, algumas vezes isso fere alguns dos conceitos que me eram característicos (certezas ainda muito fortes para se refutar e se pensar sobre).

Estou num jogo sem muitas opções, as quais me levariam a diferentes finais e onde meu adversário é o mais astuto que já enfrentei, com todos seus conceitos pré-estabelecidos, certezas, preferências, estratégias e receios: Myself.

***
Eis o paradoxo: Quando um de nós ganharmos, o outro vai perder. E se tratando de um jogo onde o adversário sou eu... Quais os méritos do vencedor sobre o destino do que vai perder?

Xeque Mate!
--------------------------------------------------------------------------
OBS.: Esse texto foi escrito há 3 meses atrás. Isso quer dizer que já faz 9 meses desde 'o acontecido'. Só expondo idéias antigas...

1 comentários:

  1. avatar Anonimato says:

    Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis.Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.Já abracei pra proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos, amei e fui amado, mas também fui rejeitado, fui amado e não amei.Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, "quebrei a cara" muitas vezes!Já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só pra escutar uma voz, me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade!.Mas vivi!E ainda vivo!Não passo pela vida...e vc tb não deve passar!Viva!!!Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe, e vencer com ousadia porque o mundo pertence a quem se atreve, e a vida é MUITO para ser insignificante...

    COMENTÁRIOS AGORA